HOW TO SHOP

1 Login or create new account.
2 Review your order.
3 Payment & FREE shipment

If you still have problems, please let us know, by sending an email to support@website.com . Thank you!

SHOWROOM HOURS

Mon-Fri 9:00AM - 6:00AM
Sat - 9:00AM-5:00PM
Sundays by appointment only!

PULGÕES

by suporte / quarta-feira, 20 julho 2016 / Published in Sem categoria

A palavra praga, num sentido amplo, é usada para se referir a uma espécie qualquer que tem capacidade de causar danos aos humanos, prejudicando a produção de alimentos, entre outros bens, ou nos causando desconforto de alguma forma.

Para a agricultura, entretanto, a definição de praga está relacionada aos prejuízos econômicos produzidos, em geral, por nematóides, ácaros ou pelos insetos, ou ainda por ervas daninhas que competem com as plantas de interesse comercial. É considerada uma praga econômica a população de insetos que causa um determinado nível de perda financeira, a qual varia de acordo com a praga em questão, com a cultura e época do ataque. Assim, pulgões podem ser pragas indiretas e melhor toleradas se estão, por exemplo, atacando as folhas das roseiras, das quais comercializamos as flores, mas são pragas diretas se, ao contrário, estão atacando as folhas da couve, que nós consumimos.

  

Definição

Pulgões são insetos pertencentes á Ordem Hemiptera, Subordem Homoptera, Subfamília Aphidoidea e da Família Aphididae. Essa família (Aphididae) pode ainda ser dividida em várias tribos (como por ex. Cinarini, Lachnini ou tribo Tramini) na classificação biológica, abrigando os gêneros e as espécies de pulgões.

Também chamados de afídeos, os pulgões possuem por volta de 4000 espécies descritas, sendo insetos predominantemente fitófagos, ou seja, que se alimentam da seiva das plantas, capazes de causar danos às plantas cultivadas e silvestres pelo seu ataque ou por transmitirem doenças aos vegetais.

Esses insetos são de tamanho pequeno (de 1mm a pouco mais de 5mm), podendo apresentar o corpo com formato túmido, em forma de pêra (piriforme) ou ovalar, uniformemente coloridos (de cor verde, amarela, alaranjada, violeta, parda ou negra), alguns podem apresentar áreas de cor parda escura ou negra. Depois de mortos, normalmente perdem a cor e o corpo pode se apresentar de uma forma diferente do que quando vivo, mostrando que são de consistência muito delicada. Dessa forma não podem ser guardados nas coleções senão em líquido conservador. Dentro de uma mesma espécie, em geral, apresentam formas variadas, e quando completamente desenvolvidos, os adultos são polimórficos e podem se apresentar sob três formas principais: a) alados (com asas), b) providos de tecas alares mais ou menos desenvolvidas e c) ápteros (sem asas).

Os pulgões apresentam em geral no final do abdômen dois apêndices laterais, chamados sifúnculos (ou cornículos), e uma cauda central chamada codícula. Na ponta dos sifúnculos existem pequenas aberturas por onde os pulgões liberam gotículas de hemolinfa e cera.

São conhecidas cerca de 2.000 espécies de Aphidoidea nas regiões temperadas do hemisfério norte, enquanto que poucas são conhecidas sendo originárias das regiões tropicais, inclusive do Brasil. Muitos dos pulgões encontrados parasitando vegetais no Brasil são insetos que vieram juntamente com plantas importadas e aqui se aclimataram. Entretanto, algumas espécies continuaram a parasitar as espécies vegetais com as quais foram importados, enquanto que outras espécies de pulgões conseguiram se adaptar às plantas aqui existentes, aumentando, assim, seu repertório alimentar.

TOP